Sessão 8


Odò Pupa, lugar de resistência

2018, Documentário, 14m, 12 anos, Bahia
SINOPSE: A fala, a imagem, as estatísticas e a repetição tudo comunica, mas pra quem se vocês dão as costas para os motivos pelos quais nossos filhos estão morrendo? Odò Pupa, rio vermelho que flui para Atlântico e testemunha nossa diáspora.
Direção: Carine Fiúza


Megg – A Margem que Migra para o Centro

2018, Documentário, 15m, Livre, Paraná
SINOPSE: Megg Rayara derrubou barreiras para chegar onde chegou. Para ela, seu diploma é um marco importante de uma luta não só pessoal mas, sim, coletiva. Pela primeira vez no Brasil, uma travesti negra conquista o título de Doutora.É a margem que migra para o centro, levando toda sua história consigo.
Direção: Larissa Nepomuceno e Eduardo Sanches


Tempo

2018, Ficção, 15m, Livre, Bahia
SINOPSE: João, jovem fotógrafo, retorna à sua cidade natal e encontra o avô com a memória fragmentada pelo Alzheimer.
Direção: Victor Uchôa


Os verdadeiros lugares não estão no mapa

2019, Documentário, 7m, Livre, Rio de Janeiro
SINOPSE: A única imagem que Luísa guarda de si é a foto 3×4 da carteira de identidade. O retrato de seu espaço cotidiano será o ponto de partida para reconstituir o álbum de família que jamais existiu.
Direção: João Araió


Poesia Azeviche

2018, Documentário, 20m, Livre, Bahia
SINOPSE: Poesia Azeviche, é um documentário que conta através das memórias dos compositores e letristas de destaque dos Blocos- Afros Tradicionais da Bahia, da Década de 70 aos Anos 90, a importância histórica de suas canções para valorização da identidade negra e luta contra o Racismo na Bahia e no Brasil.
Direção: Ailton Pinheiro


A Sússia

2018, Documentário, 17m, Livre, Tocantins
SINOPSE: Ao som de caixas, pandeiros e bumbos, mulheres e homens de todas as idades cantam, tocam, batem palmas, dançam, recriam as tradições e recontam sua própria história na Comunidade Quilombola Lagoa da Pedra.
Direção: Lucrécia Dias


LEALDADE

2019, Ficção, 5m, Livre, Maranhão
SINOPSE: No Quilombo de Damásio – tal como em praticamente todo o Estado do Maranhão – a brincadeira da “dança portuguesa” faz parte dos extensos festejos juninos.Mas quando nos deparamos com esta brincadeira numa “terra de preto” (como tem sido definido pelos seus moradores este espaço, que extrapola a geografia) o estranhamento vem à tona.
Direção: Milene Avelar e Ana Stella Cunha


Ruído Branco

2019, Documentário, 15m, Livre, São Paulo
SINOPSE: Através de uma linguagem poética, “Ruído Branco” busca refletir sobre os processos de embranquecimento que o Brasil sofreu durantes 130 anos, após a abolição da escravatura. Como isso atinge nossas descendências e dificulta a busca da identidade das pessoas negras em um país historicamente racista.
Direção: Gabriel Fonseca